Você está pagando muito juros na sua empresa e não sabe os motivos?

Confira 5 prováveis razões:

1. Organização das rotinas diárias

Você chega no escritório e precisa parar e pensar em quais serão suas responsabilidades no dia? O cliente que grita mais alto define o que você fará primeiro? Não há um processo e nem prioridades?

A falta de definição de responsabilidades, assim como um processo padrão, que prioriza uma rotina para a equipe, pode levar o administrador e sua equipe a esquecerem de pagar contas.

A consequência? Juros.

2. Esquecimento

Sabe aquela conta de cartão de crédito que chegou semana passada e você colocou em cima da mesa? Chegou a de luz e água e ambas foram parar na mesma pilha, aquela de contas que tu irás pagar depois. A intenção é boa, pagar todas contas juntas e ir apenas uma vez ao banco. Porém, as datas de vencimentos nem sempre são as mesmas, e as vezes a conta chega depois de já vencida.

Ir juntando as contas poderá causar o esquecimento de pagar as mesmas.

Esse problema acontece até mesmo quando usamos uma planilha, pois ela precisa ser acessada para visualizarmos quais devem ser pagas na data.

Solução? Pagar as contas na hora que chegarem. Hoje não há mais a necessidade de ir até o banco ou lotérica para cumprir tais tarefas. Você pode utilizar o Internet Baking da instituição contratada e pagar através deste, na hora, agendando o pagamento para a data de vencimento ou autorizando o débito em conta.

3. Saldo desconhecido na data de pagamento

Ótimo, agora você tem seus pagamentos agendados, para debitarem da sua conta no dia marcado, porém, não faz ideia de quanto é o saldo previsto para a data. E se não for o suficiente? Juros. Se você não descobrir a tempo? Mais juros.

É aí que entra um controle de débitos e de créditos, para os administradores possam prever o saldo da conta no dia de vencimento. É fundamental a utilização de um software para essa atividade!

Dica: Como fazer o controle de fluxo de caixa do meu negócio de maneira correta?

4. Contas não previstas

Agora, depois de tudo isso, não adianta não planejar os gastos fixos e variáveis. É preciso manter um histórico dos débitos de cada mês ou, no caso dos anuais, de cada ano.

Mesmo com o controle diário das contas, precisamos fazer projeções e saber quanto a empresa irá gastar a cada mês. Como fazer isso? Definindo Custos Fixos, Custos Variáveis e outras Despesas.

Como, por exemplo, as contas de água, luz, aluguel e salários se repetem todos os meses. Esses custos fixos, podem ser previstos e repetidos igualmente. Na dúvida, no caso dos custos variáveis, planeja pelo maior valor que este gasto poderá gerar, desta forma o risco de pagar juros por causa desta variação será menor.

5. Saúde financeira

Não saber quanto custa para fabricar um produto, para fazer um serviço específico, ou não planejar o valor de revenda de uma mercadoria.

Essa é uma parte negligenciada por muitos administradores e, ao mesmo tempo, crucial para o crescimento e estabilização de uma empresa.

Se você não saber por quanto está vendendo um produto/serviço, poderá estar tendo prejuízos constantes sem nem se dar conta disso. Não poderá reinvestir esse valor para o crescimento da empresa e, pior do que isso, não pagará as suas contas e estará caminhando para falência em passos largos.

Atrasarás pagamentos em cima de pagamentos e com eles virão os juros em cima de juros. Uma bola de neve formada por causa de um erro que parece tão pequeno, mas ao mesmo tempo é muito grande.

Controle os seus custos de perto!