As finanças pessoais misturadas às contas da empresa, ausência de indicadores e falta de capital: esses são apenas alguns dos problemas enfrentados no momento de organizar as finanças da empresa, gerando uma verdadeira bagunça.

Porém, não há motivos para alarde! Basta que os gestores movam esforços no intuito de colocar as finanças em ordem antes que seja tarde demais. Afinal, o mercado não costuma oferecer muita margem para erros.

Ao organizar o setor financeiro de uma empresa, é possível levantar custos, desperdícios, o nível exato de endividamento e os investimentos que não estão se mostrando um bom negócio.

Você está com dificuldades para organizar o setor financeiro do seu negócio? Confira as dicas que listamos abaixo para te ajudar a minimizar os gastos e garantir a eficiência da sua empresa!

Dica: Por que separar o controle financeiro empresarial do pessoal?

1. Exercite a disciplina

Um dos atributos que todo empreendedor ou gestor deve cultivar é a disciplina. Não há como ter sucesso ao organizar algo sem que se dedique o devido empenho — é como tentar perder peso ou deixar algum vício. Se não há foco e um acompanhamento diário, as chances dos objetivos serem atingidos são remotas.

Empresas de grande porte devem acompanhar bem de perto alguns indicadores de desempenho, tais como faturamento, custos fixos, custo total, lucro nominal, margem de lucro e nível de endividamento, por exemplo.

Chega de passar apuros com a gestão financeira! Clique no banner e conheça nosso curso (ele tem 10 aulas gratuitas!)

Banner-Mini curso de gestão financeira 1.0

Já as empresas de pequeno e médio porte devem exercer um acompanhamento com regularidade semanal ou até diária. Essa recomendação se deve ao fato das PMEs serem financeiramente mais frágeis do que as grandes corporações.

Esse acompanhamento de perto permite visualizar flutuações mais rapidamente, contornando as situações logo que elas se iniciam.

2. Separe as contas pessoais das empresariais

Um erro básico — e ainda assim muito comum nas pequenas empresas — é confundir as finanças pessoais com as do negócio.

Por mais que a tentação seja forte, é preciso organizar, de forma rigorosa, os recursos oriundos e destinados à empresa do dinheiro que é reservado à vida pessoal. Não há como fugir a essa separação.

Dica: Por que separar o controle financeiro empresarial do pessoal?

Empresas familiares também apresentam muito essa dificuldade — afinal, família e negócio podem se confundir bastante nesse contexto. Por isso, é preciso determinar junto aos sócios os períodos e condições que devem ser observadas para a realização das retiradas, coibindo a transferência de capital da empresa para o patrimônio pessoal.

3. Conheça bem os prazos

Ter ciência de quais são as restrições de prazo, as datas de recebimento e vencimento das contas é essencial. Isso evita atrasos nas quitações e o pagamento de juros de mora.

Essa questão não deve ser ignorada, pois conhecer bem os prazos é o primeiro passo para controlar o fluxo de caixa, estabelecendo prioridades para tudo aquilo que corresponde ao longo, médio e curto prazo. Tratando-se de dívidas, por exemplo, é essencial conhecer aquelas que são de curto prazo.

Ter o controle sobre o fluxo de caixa é indispensável na rotina de toda empresa. Clique no banner abaixo e acompanhe suas contas a pagar e receber em tempo real por 7 dias grátis!

software de gestão online Fluxo de caixa

4. Defina um orçamento anual

Alguns investimentos podem se mostrar ótimas oportunidades. Porém, isso deve ser muito bem controlado e calculado para que não gere uma instabilidade no negócio.

Você pode contratar um novo serviço, investir em uma expansão de um setor, contratar mais pessoas ou ferramentas. Porém, o ideal é que se defina um orçamento anual para isso.

Com essa atitude você se certifica de manter um valor limite para o investimento. Essa quantia já será conhecida e pode ser aplicada sem prejudicar a saúde financeira do negócio.

Então, o ideal é que você faça uma reunião com os envolvidos, defina o foco do investimento, os valores, objetivos e também alguns marcos importantes para entender se aquilo está ou não conforme o esperado.

5. Faça uma gestão adequada dos fornecedores

Um dos pontos que mais causa preocupação ao departamento financeiro de uma empresa é a gestão dos fornecedores, principalmente quando se trata de vários deles.

Imagine uma montadora de produtos eletroeletrônicos, por exemplo. Um mesmo produto tem vários componentes e pode acontecer de cada um ser de um fornecedor distinto. Isso pode virar um caos se não for bem administrado.

Dica: 5 dicas para ter um bom relacionamento com fornecedores

Não só o setor financeiro pode ser impactado por problemas no fornecimento, mas toda a empresa, seja por atrasos ou má qualidade. Por isso, é muito importante fazer uma análise bem completa das instituições parceiras, mantendo um bom relacionamento e gestão.

6. Negocie boas condições de pagamento

Mais do que simplesmente ter uma boa gestão das organizações que fazem negócios com você, é importante conquistar boas condições de pagamento. Ajustar prazos, negociar valores e parcelamentos pode evitar que sua empresa tenha que descapitalizar um valor significativo de uma só vez ou que pague juros excessivos.

Avalie quais são as melhores opções para o seu setor financeiro, analisando todas as transações envolvidas, e procure fornecedores de qualidade que possam atender as necessidades.

7. Controle bem o estoque e as movimentações financeiras

Se você quer organizar as finanças da empresa, precisa criar o hábito de controlar rigidamente o estoque. Isso vale para qualquer tipo de negócio, sendo ele de pequeno, médio ou de grande porte.

Acumular produtos demais na sua empresa faz com que você aplique uma verba alta em curto espaço de tempo. Além disso, se não há uma saída sincronizada com a compra, o próprio espaço físico necessário para condicionar os itens pode apresentar custos altos.

Dica: 6 sinais de que sua empresa precisa de um sistema de gestão financeira

De forma oposta, se você não calcula bem a saída dos componentes e não cria o abastecimento necessário, pode perder vendas por falta deles.

Ou seja, é imprescindível que você mantenha um bom controle de estoque, estudando a saída de cada item, o tempo que leva desde a geração do pedido de compra até a entrega e o custo total envolvido.

8. Use uma solução tecnológica

Ainda que muitas empresas se valham das planilhas e se sintam até satisfeitas com a automação exercida por elas, nada se compara a um software de gestão financeira. Afinal, essa é uma solução adequada e decisiva para organizar o setor financeiro de um empreendimento.

Com o Flua, é possível manter o fluxo de caixa sempre organizado, ter maior segurança dos dados sensíveis do setor, ter acesso à informações precisas e sem risco de erros de cálculo — como pode acontecer com as planilhas — e simplificar toda a gestão do setor financeiro.

O gestor tem acesso ao dashboard com informações em tempo real das finanças da empresa, com o Flua. É possível conferir conferir os saldos diários e mensais, gráficos com as despesas e receitas e as projeções de crédito e débito divididas por perídos. Além de possuir todos esses recursos é simples e fácil de usar. Todos os cadastros são feitos de forma clara e rápida, assim o gestor não perde tempo com tarefas que podem ser realizadas em poucos instantes.

resumo financeiro

Mais do que servir para a estruturação das finanças em si, o Flua é fundamental para acompanhar o crescimento da sua empresa. E como acontece em todo ofício, não é possível fazer um trabalho de qualidade sem usar as ferramentas adequadas.

Teste o Flua por 7 dias gratuitamente e deixe a tecnologia facilitar a gestão do seu negócio! Clique no banner!

Banner - Conheça o Flua

Portanto, vimos que para organizar as finanças da empresa é preciso ter muita atenção com diferentes pontos. Fizemos um levantamento dos principais para que você aplique no seu negócio e mantenha uma boa organização do setor financeiro.

Nunca se esqueça de que essas ações contribuem com o seu negócio e podem garantir não só lucratividade dele, mas também uma longa vida!

E então, gostou das nossas dicas para organizar o setor financeiro da empresa? Agora, assine a nossa newsletter e não perca mais nenhuma atualização!