Uma das formas de medir se a empresa está crescendo, ou não, é avaliando seu fluxo de caixa. Se os recursos disponíveis não estão sendo suficientes para cobrir as despesas para a execução das atividades operacionais é hora de repensar a forma como o dinheiro está entrando em caixa e para onde está sendo destinado.

Muitas empresas lidam com um grande fluxo de operações financeiras diárias, que envolve vendas, pagamentos, recebimentos, compras e tantas outras movimentações que tornam possível o funcionamento do negócio. Controlar tudo isto pode ser bem mais fácil do que se imagina, quando algumas práticas passam a fazer parte da rotina do gestor, principalmente em relação ao controle e planejamento do que entra e sai de dinheiro.

Mas o que é o fluxo de caixa? Para que serve? Acompanhe nosso post de hoje e esclareça algumas dúvidas que acabam impossibilitando o negócio de crescer de  forma sustentável. Vamos lá!

O que é Fluxo de Caixa?

Uma das bases das empresas de sucesso é a gestão financeira! Todas as empresas que conseguem se manter saudáveis e em constante crescimento, mantém o controle de dinheiro, de vendas, entradas e saídas, pagamentos diversos, entre outros. Por isso é fundamental ter um fluxo de caixa para manter a organização das finanças. Você certamente já deve ter ouvido o termo fluxo de caixa, mas você sabe, de fato, o que é e para que serve? Sabe como ele pode impactar sua empresa?

Uma empresa em seu dia a dia, precisa de organização, não só na forma de trabalho, como também para manter seus rendimentos, investimentos e finanças em dia. Assim, o fluxo de caixa basicamente analisa o saldo disponível daquele empreendimento, para que se faça um balanço correto de quanto capital a empresa tem, onde foram gastos os recursos e para qual finalidade. Neste sentido, o fluxo de caixa nada mais é do que uma ferramenta fundamental de controle. Sem ele, nenhuma empresa sobrevive por muito tempo!

Dica: 4 dicas indispensáveis para aumentar a produtividade da sua equipe

Entre outras palavras, por meio do fluxo de caixa, o empresário pode aplicar tais benefícios ao crescimento da empresa e também suprir possíveis imprevistos ou gastos necessários. 

No fluxo de caixa, todas as movimentações ficam registradas, bem como a razão pela qual elas ocorreram. Desde os recebimentos de clientes, juros de investimentos ou qualquer entrada de capital, bem como pagamentos, compras e despesas que a empresa tenha tido.

Desta maneira, independentemente do tamanho da empresa, o empresário ou mesmo um diretor financeiro, tem um cenário completo da saúde financeira da empresa. Com o correto controle do fluxo de caixa, é possível verificar uma série de variáveis, que no contexto geral do negócio, fazem toda a diferença.

Dentro do contexto em que usamos o fluxo de caixa, temos a “divisão” das formas de utilização dos recursos, bem como o acompanhamento de sua aplicação. Esta é uma ferramenta que está na base da gestão de qualquer empresa. Não importa se a empresa é pequena, individual ou uma multinacional. 

Com o fluxo de caixa, a gestão financeira se torna mais profissional e será possível verificar quaisquer erros ou gargalos. Se tratando de aspectos financeiros, os erros e gargalos muitas vezes podem custar meses de trabalho ou até a vida de uma empresa, o fluxo de caixa é a base para termos uma organização de sucesso.

Além disso, é por meio desse fluxo de caixa que muitos investidores sentem a necessidade ou não de investir em determinada empresa. Muitas pessoas só colocam o seu dinheiro em ações quando se tem acesso aos ganhos e perdas que tal empreendimento teve durante um determinado período. Não importa se você está vendendo parte da empresa ou abriu o capital dela na bolsa de valores, o fluxo de caixa é um elemento fundamental para atestar a saúde financeira dela!

Mas o fluxo de caixa é feito apenas das entradas e saídas de um negócio?

Basicamente, não. O fluxo de caixa tem como base o controle de entradas e saídas de recursos, além de sua categorização. Mas existem muitas possibilidades dentro de seu contexto! É comum ouvirmos nos noticiários que nos próximos meses uma empresa X terá uma perda de Y. Como isso é possível? 

Graças ao fluxo de caixa adiantado, é possível criar expectativas positivas ou negativas sobre o setor financeiro do empreendimento. Por isso, se faz tão necessário o acesso facilitado aos dados financeiros, o que será decisivo no crescimento ou queda da empresa. Com o preenchimento correto do fluxo de caixa, é possível calcular antecipadamente o que se pode esperar da empresa para os próximos dias, meses ou anos. 

Clique no banner abaixo e otimize o controle do fluxo de caixa da sua empresa agora mesmo!

Software de gestão online Fluxo de caixa

Que fique bem claro que um bom gestor entende as necessidades do seu negócio e deve assim, quase que de modo obrigatório, saber como funciona o setor financeiro da sua empresaindependentemente se a empresa é pequena ou grande. Isso é a base para se ter sucesso no mundo dos negócios!

Veja o caso de uma pessoa que tem uma pequena loja em um ponto comercial de uma grande cidade. Ela precisa manter o fluxo de caixa para saber quais os produtos mais lucrativos, se o preço que ela paga por tais produtos está adequado para a margem de lucro proposta, se o valor de venda aplicado está lhe trazendo lucro e se a renda adquirida com as vendas está deixando o seu saldo positivo. 

Basicamente, o fluxo de caixa deixa as ações financeiras da empresa muito mais fáceis e seguras. Se isso ajuda uma pequena loja, que muitas vezes é gerenciada por uma ou duas pessoas apenas, imagine a diferença que fará para empresas maiores.

O Fluxo de Caixa é um importante instrumento de controle de todo o dinheiro que entra e sai do caixa. Via de regra, o caixa de toda empresa tem uma mesma linha de funcionamento: é dinheiro que entra e é dinheiro que sai. Toda esta movimentação ocorre em prazos diferentes, o que deixa muitos empreendedores perdidos na hora de manter um bom controle financeiro.

O fluxo de caixa é indispensável na rotina de toda empresa, sem um controle do que entra e sai de recursos financeiros fica impossível estabelecer qualquer estratégia de crescimento ou mesmo se manter num mercado cada vez mais competitivo.

software de gestão online Fluxo de Caixa

Para que serve?

Para uma empresa funcionar, empreendedores devem manter certo equilíbrio nas vendas, realizar investimentos, captar outras fontes de financiamento, seja para aumentar a produção ou mesmo expandir os negócios - diante de toda esta movimentação fica difícil estabelecer qualquer tipo de planejamento sem um controle efetivo dos recursos financeiros.

É impossível imaginar uma empresa prosperando sem manter um controle das suas finanças e é aí que entra o Fluxo de Caixa. É através do registro de cada movimentação que o gestor poderá avaliar sua real situação financeira e estabelecer estratégias para evitar problemas de caixa negativo.

Vejamos uma situação: 

Digamos que sua empresa superou as vendas este mês, só que o primeiro recebimento será daqui a 30 dias. As contas de luz, energia elétrica, alguns fornecedores  e aluguel vencem daqui a 15 dias. Com o acompanhamento do fluxo de caixa, o gestor poderia avaliar que algumas vendas deveriam ser realizadas à vista e outras a prazo, o que abasteceria o caixa com recursos disponíveis para manter o pagamento das despesas fixas e variáveis em dia e não atrasar seus pagamentos, o que geraria multas e juros – e isto nunca é uma boa ideia.

Com o fluxo de caixa em mãos o empreendedor poderia responder:

  • O quanto terá de dinheiro no curto, médio e longo prazo (previsão financeira)?
  • Qual o prazo dos pagamentos?
  • Qual a possibilidade de dar mais prazo com os clientes?
  • Se há necessidade de renegociar prazos com os fornecedores?
  • Preciso captar recursos de terceiros para financiar as atividades operacionais?
  • Quanto de dinheiro tem disponível (saldo atual)?

É através do Fluxo de Caixa que o gestor consegue visualizar quais os gargalos financeiros da empresa e quais devem ter maiores investimentos, além daqueles com gastos superiores ao necessário. Desta forma, é possível otimizar os processos cortando custos indevidos em determinadas áreas e direcionar recursos para outros setores ou operações prioritárias e que estão deficitárias.

Dica: 4 dicas indispensáveis para aumentar a produtividade da sua equipe

Qual a diferença entre fluxo de caixa e controle de caixa? 

O fluxo de caixa analisa como está o financeiro da empresa como um todo. Ele leva em consideração investimentos, gastos e ganhos futuros e projeções. Além disso, com o fluxo de caixa você tem uma média de quanto irá ganhar ou perder, e assim tomar providências para a melhoria da empresa. Ele é um elemento não só de controle, mas fundamental para o planejamento estratégico de qualquer organização

Já o controle de caixa é o registro diário ou semanal, de toda a movimentação financeira da empresa. Com o controle de caixa, o gestor pode saber como estão as movimentações financeiras naquele período. 

Com o controle de caixa, o empresário ou diretor financeiro, consegue avaliar os ganhos e as perdas de determinado período. 

Um exemplo disso são empresas que trabalham com produtos sazonais, ou seja, aqueles só são faturados mais em uma determinada época do ano do que em outra. Com o controle de caixa, o gestor consegue manter o seu controle financeiro em ordem, porque consegue vislumbrar com mais frequência, as variações de seu mercado.

Também, com o controle de caixa, como mencionado, é possível evitar a alocação de recursos nos locais errados ou até mesmo o desvio de verbas. 

Dica: Controle financeiro e planejamento: por que são importantes?

É por meio dele que se sabe o faturamento real que foi obtido durante determinado período. 

Desta maneira, o que fica muito claro, quando falamos na diferença entre fluxo de caixa e controle de caixa, é que o primeiro é um instrumento de gestão completa. Por sua vez, o controle de caixa é um instrumento de controle. 

Basicamente, o controle de caixa apenas registra o que já ocorreu. Uma venda, uma compra ou qualquer outra ação que gere movimentação de recursos. 

É possível usar apenas um deles? Idealmente, não. O fluxo de caixa é fundamental para qualquer empresa. Sem ele, não será possível ver com clareza questões como crescimento, lucratividade, projeções futuras e outros elementos fundamentais. 

Já sem o controle de caixa, não teremos dados precisos para serem analisados. Em termos gerais, o controle de caixa é uma ferramenta que ajuda a compor o contexto do fluxo de caixa

O grande problema é que muitas empresas, principalmente as menores, optam apenas pelo controle de caixa (quando o fazem). Qual o problema disso? 

Não há como saber, em um contexto mais amplo, como anda a saúde financeira da empresa. Imagine que você usa o controle de caixa de forma diária. Há tantas variações em um mês, que você pode achar que está ganhando dinheiro, quando na verdade está operando no vermelho. 

Dica: Você é um empreendedor que deixa de ganhar dinheiro tentando "economizar dinheiro"?

É muito comum ouvirmos a expressão “eu não sei para onde vai todo o meu dinheiro” de quem não usa adequadamente o fluxo de caixa. No geral, isso significa que não há um controle, separado por categorias e dividido em custo, faturamento e investimento. Se o empresário fizer um controle de caixa rigoroso e usar uma boa política de fluxo de caixa, ele sempre saberá para onde está indo seu dinheiro. Com isso, ele saberá verificar os erros de seu negócio e poderá corrigi-los. 

O que preciso para um Fluxo de Caixa eficaz?

  • Organize sua rotina diária: registre todas as transações financeiras, desde um simples cafezinho até um lanche no final do dia;
  • Registre valores, prazos (se foi à vista ou a prazo) e as formas de pagamento (dinheiro, cartão, cheque, entre outras);
  • Faça uma reserva para situações de imprevistos ou mesmo no caso de clientes inadimplentes;
  • Mantenha os dados constantemente atualizados;
  • Realize uma análise periódica do que está sendo registrado;
  • Utilize um software de gestão para o fluxo de caixa.

Já conhece o Flua? o software de gestão financeiro simples e fácil de usar

Agora vamos entender os diferentes tipos de fluxo de caixa e como eles podem ser aplicados em cada caso!

Tipos de fluxo de caixa 

Fluxo de caixa Projetado

O fluxo de caixa pode ser dividido de várias formas. Uma delas é o fluxo de caixa projetado. Como ele funciona? 

fluxo de caixa projetado é um instrumento usado para conhecer as entradas e saídas com maior aprofundamento e de forma mais detalhada. Quem trabalha com esse tipo de sistema quer, em um pequeno prazo, identificar os elementos detalhados do faturamento e dos custos

Por exemplo, imagine que uma empresa tem R$ 10.000 em caixa e fez hoje, um pagamento de R$ 7.000. Ela está com R$ 3.000 em caixa, mas tem um recebimento daqui a uma semana, de R$ 15.000., portanto, seu saldo projetado é de R$ 18.000. Desta maneira, com o fluxo de caixa projetado, conseguimos um cenário muito mais completo, amplo e preciso.

Da mesma forma, você não é “enganado” pelo controle de caixa diário. Um recebimento precisa ser visto como faturamento e não lucro. Ele só se transformará em lucro, depois que os custos forem reduzidos dele. 

Dica: Fluxo de caixa projetado: o que é e como fazer

Com o controle de caixa projetado, teremos uma possibilidade de análise mais completa e segura

Esse fluxo trabalha com projeções e tem como fundamentos e vantagens:

Vantagens do Fluxo de Caixa Projetado

Para quem tende a buscar um financiamento ou investimento, o mais adequado é o uso do fluxo de caixa projetado que irá dar uma base de como estão as suas finanças e que tipo de "ajuda" você pode buscar potencializar o crescimento de sua empresa. 

Para que o sistema financeiro de uma empresa possa trabalhar de forma correta e com lucratividade, é necessário um fluxo de caixa arrojado, dinâmico e atualizado. Assim, o fluxo de caixa projetado irá minimizar erros básicos no que se refere à análise financeira. Com um fluxo de caixa projetado, o empreendedor analisa as formas de maximizar seus lucros, enxergar gargalos de custos e projetar um crescimento real. 

Assim, com o fluxo de caixa planejado, é possível que a gestão da empresa possa ser realizada com base em dados sólidos. Com o fluxo de caixa projetado, é possível conseguir algumas ações bastante positivas para a gestão. As principais delas são:

Fluxo de Caixa Projetado - Ações positivas para a gestão

Um bom gestor não pode "achar" que sua empresa está bem ou que futuramente ele irá melhorar sua lucratividade. Ele precisa trabalhar com números precisos, reais e buscar mudanças quando necessário. 

Fluxo de caixa diário

No fluxo de caixa diário, o gestor deve analisar todo o sistema financeiro diariamente, com um controle sobre as entradas e saídas daquele dia em questão. Este é um modelo de fluxo de caixa muito usado por empresas com muitas movimentações financeiras. Lojas, supermercados e outros estabelecimentos, geralmente de atendimento ao público em geral, usam muito este tipo de fluxo de caixa

Uma empresa que trabalha com vendas diárias, precisa de um fluxo de caixa diário, para controlar de forma adequada as entradas e saídas de seu negócio. Isso porque, um controle de fluxo de caixa em períodos maiores, para este tipo de negócio, pode significar muitos prejuízos.

Dica: Como fazer o controle de fluxo de caixa do meu negócio de maneira correta?

Para empresas que necessitam deste tipo de fluxo de caixa, o controle diário demonstra o tipo de saídas que estão sendo realizadas, bem como as entradas e sua origem. Desta maneira, temos um cenário completo daquele dia, em termos de ganhos e custos. 

A falta de sincronia, organização financeira e rotina de análise é um dos fatores que levam ao fechamento de empresas. Assim, voltamos à informação de que muitos estabelecimentos comerciais fecham por falta de controle financeiro

Diversas empresas apostaram apenas a longo prazo, buscando novos financiamentos, tentando investimentos arrojados, mas se esqueceram de olhar para o presente. 

Basta uma simples conferência em seu fluxo de caixa, para que seja possível verificar a falta de controle diário de caixa

Principais Vantagens do Fluxo de Caixa Diário

É fundamental entender que, no controle de fluxo de caixa diário, existem dias em que o saldo fica negativo. Mas isso não é sinônimo de desespero. Um pagamento mais volumoso, pode fazer com que em determinados dias, seu saldo fique no vermelho. Por isso, é importante ter, em paralelo com o fluxo de caixa diário, um controle no mínimo, mensal. Desta maneira, o controle de fluxo de caixa diário é uma ferramenta fantástica para determinados cenários, mas não se aplica a outros.

Fluxo de caixa descontado

fluxo de caixa descontado é muito usado para quem tem intenção de vender a sua empresa ou mesmo atrair investidores. Isso acontece, pois esse tipo de fluxo avalia a riqueza economizada do empreendimento, assim como os benefícios que mantém em caixa para projetos futuros. 

Sabemos que investir é conseguir aplicar o capital em algo que gere lucro e expectativas promissoras no futuro, superando o valor do investimento. Por isso, é tão importante saber o valor e distinguir ele do preço aplicado. 

Com base nisso, o empreendedor analisa o valor da sua empresa com base em tudo que ela vem funcionando, e cria perspectivas futuras de grande valor, que envolvem não só a atividade da empresa como o tempo que será decorrido o projeto. 

Esse tipo de fluxo mostra exatamente quais tipos de retorno, o investidor ou empreendedor poderá ter, mostrando o período a ser finalizado e com uma visão completa do valor real do negócio. 

Deste modo, é analisado o faturamento real e quais suas perspectivas para os próximos meses ou anos. Com esses valores em mãos, é possível encontrar o potencial do empreendimento e assim descontar o tempo de retorno, assim como os possíveis riscos que tal investimento poderá ter.

Lembre-se que, se for um negócio sazonal, que tem diferenças de épocas do ano, temos que analisar as datas, para ter melhores resultados. Ou seja, além de ver se o projeto mantém uma linha de projeções crescente, são analisados contratempos e fatores de mercado que podem contribuir para a queda do empreendimento. 

Com base nessas informações, é definido um valor da sua empresa pensando não só no presente, com analisando a base de retorno que tal empreendimento pode conseguir no futuro. 

Muitos especialistas indicam que, para obter um valor correto, se faz necessário medir três fatores:

  1. Estimativa de fluxo de caixa: projeto de faturamento que irá analisar quais os custos do empreendimento em um determinado período estabelecido. É nessa fase que o gestor precisa analisar se buscará um investidor externo ou empréstimo bancário. Se o investidor for conquistado, o empreendedor irá mostrar porque aquele comércio é vantajoso e que os lucros são maiores do que os prejuízos. Já sobre o financiamento bancário, é necessário mostrar a capacidade para cumprir todas as parcelas fechadas no acordo. 
  2. Taxa de desconto: é nessa fase que é estabelecido um valor de risco para as atividades que a empresa pode gerar, criando um custo médio do capital de giro, fazendo com que a empresa possa caminhar com o financeiro em ordem e assim adquirir capital externo. Estes valores podem variar conforme o ramo que a empresa trabalha, assim como o segmento e as condições financeiras que estão sendo analisadas de forma atual no mercado do qual o empreendimento faz parte. 
  3. Valor residual: esse seria o valor dos bens e ativos do negócio já no seu fim útil. Nesse caso, se analisa imóveis, equipamentos e duplicatas de acordo com seu valor final e que possa gerar lucro ou receita para a empresa. Por exemplo, ao calcular o valor de um carro que o empreendedor tenha na empresa, é descontada a devalorização que ele sofre ao longo do tempo. Entre outras palavras, o que antes poderia gerar um lucro maior, no final não será tão grande como se pensava.

Este é um modelo de fluxo de caixa usado em condições específicas e não se aplica a qualquer empresa. Além disso, na grande maioria dos casos, é fundamental contar com uma auditoria para utilizá-lo.

Fluxo de caixa simples

fluxo de caixa simples é muito usado em negócios que não são tão complexos. Ele tem as premissas básicas dos outros modelos, com controle de entradas, saídas, investimentos, mas de forma simplificada. No geral, temos uma divisão por categorias mais amplas e um controle semanal ou mensal. Mas essa periodicidade pode variar de acordo com as individualidades do negócio. 

Após a elaboração desse fluxo do caixa simples, se o valor estiver em negativo, o gestor deverá assim tomar medidas de quais gastos precisam ser cortados para que a renda da empresa volte a crescer. Mas, se os resultados forem positivos, isso significa que a empresa está conseguindo seguir com suas obrigações financeiras e está com um balanço positivo

Nesse caso, o gestor poderá disponibilizar esses saldos para investimentos ou melhorias na empresa (contratação de funcionário, obras de infraestrutura, para melhorias do local de trabalho, compras de ações etc.).

Dica: 4 sinais de que sua empresa precisa de um sistema de gestão financeira

Com o fluxo de caixa simples, o gestor pode adaptar as suas necessidades de acordo com o mercado que sua empresa atua. Com o fluxo de caixa simples, você consegue manter uma atualização diária e assim manter o seu ritmo financeiro em ordem, sem prejudicar o andamento da empresa. Além disso, você define as prioridades, as categorias de gastos e tudo mais que envolve as movimentações financeiras de sua empresa.

Este é um modelo de fluxo de caixa muito interessante para negócios menores ou em que o gestor não tenha tanto conhecimento em finanças. Em vista disso, o gestor ou empreendedor pode desenvolver uma forma própria de utilizar o fluxo de caixa simples. 

Mas isso não significa que ele deva ser feito de qualquer forma. É fundamental que o fluxo de caixa simples mantenha alguns elementos fundamentais para o bom controle das finanças. Veja os elementos fundamentais para o fluxo de caixa simples:

  • Controle de entradas e saídas: este é o ponto mais básico de qualquer fluxo de caixa. Por isso, ele precisa, sempre, estar presente. No fluxo de caixa simples, ele é o cerne de sustentação, o ponto mais básico. 
  • Recebimentos futuros: para que possamos ter uma visão mais ampla, os recebimentos futuros também precisam estar presentes no fluxo de caixa simples. Com ele, você terá uma perspectiva, geralmente mensal, de seus ganhos reais. Caso contrário, você poderá ficar “assustado” com aquela conta maior que foi paga e que jogou seu caixa lá para baixo. 
  • Controle de entradas e saídas parceladas: um erro muito comum dos empresários que usam o fluxo de caixa simples é não controlar as entradas e saídas parceladas. Como elas compõem um cenário mais amplo, com maior duração, precisam ser controlados de forma adequada.

Estes são alguns dos elementos mais importantes do fluxo de caixa simples. Ele se enquadra muito bem em empresas individuais ou com fluxo de movimentação financeira não tão grande. É uma alternativa interessante para prestadores de serviço ou empresa de menor porte também. Porém, por suas informações mais limitadas, apresenta restrições para um planejamento mais amplo. 

Administre as categorias separadamente

Estes são os métodos mais convencionais de utilizar o fluxo de caixa. Mas temos também o fluxo de caixa livre, já ouviu falar?

O que é fluxo de caixa livre?

Basicamente, o fluxo de caixa livre, trata-se do dinheiro bruto (livre) que sobra para, após o pagamento de todos os custos da empresa, como despesas, salários e investimentos em geral. 

Podemos dizer que as despesas/receitas estão em caixa quando são efetivamente desembolsados no período. Assim, para o cálculo do fluxo de caixa livre é necessário analisar: Lucro líquido + depreciação – investimentos – aumento no capital de giro – juros pagos (ajustado pelo ganho com impostos). 

Dica: 7 dicas para não pagar mais juros!

Nesse caso, se menciona que esse fluxo de caixa livre pode ser estabelecido como um saldo positivo em caixa que não foi projetado para nenhum fim até o momento e está livre para ser usado. Um dinheiro disponível depois de todos os compromissos financeiros terem sido pagos e finalizados. Ele pode ser usado para investimentos ou para a manutenção de capital de giro

Mas para preparar o fluxo de caixa livre, se faz necessário indicar todas as informações financeiras que a empresa dispõe. Lembre-se que todos os dados precisam ser descritos de forma correta, fornecendo informações realmente relevantes. 

Uma regra básica é que todo empreendimento deve emitir relatórios regulares para diagnosticar como está sua saúde financeira, identificando os problemas e assim resolver o mais rápido possível. 

Assim, nesses casos, o fluxo de caixa simples é a chave para saber qual é valor que a empresa realmente possui em caixa, a fim de se estabelecer uma meta e direcionar ele a um caminho que gere lucro ao negócio

Se o saldo deste indicar que está positivo, mostra que os custos para o período foram menores do que os recebimentos. Já se o resultado apresentado for negativo, as receitas foram menores do que custos. 

Perceba que o fluxo de caixa livre é a base para verificar a lucratividade de qualquer empresa. 

Para nos aprofundarmos mais nestes conceitos, vamos falar mais sobre o método indireto e direto!

Qual a diferença do método indireto e direto?

Todo mundo que tem uma empresa precisa manter o controle dos recursos, não só para aqueles que entram com as vendas, como também as saídas/retiradas para pagamentos diversos. É nisso que a importância de termos um fluxo de caixa se mostra essencial, afinal, esta é a base para o planejamento estratégico nas finanças.

Dica: Controle financeiro e planejamento: por que são importantes?

Existem diferentes formas de utilização do fluxo de caixa. Mas praticamente todas elas se baseiam no método direto e no método indireto:

Método Direto

No método direto de fluxo de caixa se trabalha em como dimensionar os recebimentos e pagamentos de um empreendimento usando como base critérios técnicos. 

O método direto classifica os recebimentos e pagamentos de uma empresa utilizando dados palpáveis e diretos. A vantagem desse método é que permite gerar informações com base em critérios técnicos, eliminando, assim, qualquer interferência da legislação fiscal

Como exemplo de método direto, podemos mencionar os ganhos com base nos cartões de débito e crédito que uma empresa utiliza. As diferenças de ganhos e perdas devem ser analisadas e assim se criar uma forma de compensação em ambos. 

Uma das vantagens desse método é a facilidade na administração financeira da empresa e a eliminação de possíveis problemas de origem nos setores operacionais, em investimentos, em financiamentos, ou ainda em algum segmento que possa envolver os três grupos. 

Esta é a base para o método direto.

Método Indireto

Pode ser caracterizado como fluxo de caixa que surge a partir de uma movimentação de conta que altera o caminho dos lucros, como estoque, contas a receber e a pagar, além de investimentos, financiamento e outras movimentações que possam gerar perdas como queda no mercado, baixo lucro etc. Basicamente, o método indireto não trabalha com dados diretos, mas sim com contas, que geralmente se subdividem em operações, investimentos e financiamentos

Diversas atividades podem gerar um método indireto de fluxo de caixa. Com a vantagem de aceitar um baixo custo, o método Indireto utiliza os balanços do financeiro referentes ao início e ao final do período, assim como a demonstração de resultado do exercício e algumas informações oriundas na contabilidade. 

O método indireto altera todas as informações do regime de competência para o regime de caixa, assim como cria um processo mais lento, apresentando, quase que imediatamente, alguns resultados que aparentam ser desagradáveis em um período de intervalo muito grande. Se houverem quaisquer modificações na legislação fiscal e nos princípios contábeis, por exemplo, o método pode apresentar uma série de distorções.

Clique no banner abaixo e otimize o controle do fluxo de caixa da sua empresa agora mesmo!

software de gestão online Fluxo de caixa

Vantagens e desvantagens 

Método Direto

Vantagens
  • Capaz de mostrar, de forma clara e objetiva, a melhor qualidade da empresa e gerar lucro para manter todas as suas funções ativas, como pagamentos de contas e dívidas, reinvestir em melhorias e benefícios, criar lucro e potencializar o crescimento da organização
  • Possui formato mais simples de se entender. Qualquer gestor poderá trabalhar com essa plataforma e conseguirá aplicar, na prática, seus conceitos primordiais. 
Desvantagens
  • Muitos empreendimentos não têm acesso às informações adequadas para a sua utilização, tornando quase que impossível de ser acessadas. Mas este na verdade, é mais um problema organizacional do que do método em si. Apenas o citamos para que sua empresa não o cometa, caso opte pelo método direto.
  • Destacam-se alguns resultados sob o regime de caixa ao invés da competência. Isto pode sugerir que os fluxos são uma medida de melhor desempenho do que o resultado contábil real que deveria ser aplicado.

Método Indireto

Vantagens
  • Tem uma principal vantagem o seu foco em diferenciar o lucro e o caixa que foi gerado em todas as operações. Com isso, é possível verificar de forma mais clara, a posição financeira da empresa, com base em suas operações e não apenas no ciclo entrada/saída de recursos. 
  • Cria um link útil entre os fluxos de caixa, demonstrando os resultados e posição financeira da qual o empreendimento faz parte.

Dica: Como calcular o lucro de uma pequena empresa?

 Desvantagens
  • Difícil de manejar e pouco procurado pelos gestores.
  • Envolve, na grande maioria dos casos, a necessidade de um diretor, funcionário ou até equipe, para gerenciá-lo

Qual a importância de um Fluxo de Caixa?

No fluxo de caixa, todos os recebimentos (vendas efetuadas, recebimentos, juros de investimentos etc.) devem ser registradas, a fim de criar um cenário mais completo de recebimentos, também chamados de entradas. 

Além disso, os pagamentoscompras despesas que a empresa tenha tido durante o dia, semana e mês também devem ser aplicados a esse fluxo. Estes custos, são chamados comumente de saídas. 

Toda movimentação financeira que a empresa realiza, sendo ela positiva ou negativa, deve ser descrita nesse fluxo para que os canais do sistema financeiro da empresa consigam andar de maneira organizada e que seja possível visualizar os resultados de forma mais clara e objetiva.

Após a elaboração do fluxo do caixa, e se o valor estiver negativo, o gestor deverá assim medir quais os gastos precisam ser cortados para que a renda da empresa volte a crescer. Mas, se os resultados forem positivos, isso significa que o empreendimento está conseguindo seguir com suas obrigações financeira. Nesse caso, o gestor poderá disponibilizar esses saldos para investimentos ou melhorias na empresa (contratação de funcionário, obras de infraestrutura, para melhorias do local de trabalho, compras de ações etc.).

Empresas de sucesso sabem que sem um fluxo de caixa, não há possibilidade de dosar o que está sendo lucrativo ou desperdiçado em suas rotinas administrativas.

Dica: 5 táticas infalíveis para evitar o aperto financeiro na empresa

Além disso, é por meio desse fluxo de caixa que muitos investidores sentem a oportunidade ou não, de investir em determinada empresa. A maioria dos grandes investidores só colocam o seu dinheiro em ações quando se tem acesso aos ganhos e perdas que tal empreendimento teve durante um período.

É fundamental que qualquer empresa deva ter um fluxo de caixa inteligente e muito bem estruturado, para que possa manter sua saúde financeira

Assim, é importante definir quais serão as categorias dos custos e dos recebimentos. Neste caso, será possível, ao fazer uma avaliação do fluxo de caixa, identificar pontos, gargalos e locais onde está se perdendo lucratividade. Por exemplo, uma empresa que tenha uma parte de logística que não está sendo eficiente e “enxuta” pode perder lucratividade neste setor. 

Sabe o que é mais interessante? O fluxo de caixa pode mostrar isso, desde que ele seja muito bem pensado. Isso acontece pelo fato de que o fluxo de caixa mostrará custos por categoria, crescimento ou decréscimo deste e projeções futuras. Tendo estes dados em mãos, ficará muito mais fácil estabelecer os pontos fracos do negócio e buscar soluções que de fato, atinjam o problema e acabem com ele. 

Mas isso só será possível se você tiver um bom fluxo de caixa, adequado às necessidades de sua empresa e focado nas soluções que ela precisa

Uma empresa sadia financeiramente, que é sustentável e que se mantém no mercado por muitos anos, é aquela que tem no fluxo de caixa, sua principal ferramenta de controle estratégico das finanças. Para isso, as empresas desenvolvem métodos específicos. Porém, o que vem ganhando muita força com o advento da tecnologia, são os softwares que fazem isso. 

Existem milhares de problemas que podem ser evitados com a utilização adequada de um bom fluxo de caixa. Eles não só apresentam os problemas, como também nos dão subsídios para que possamos encontrar soluções.

Clique no banner abaixo e conheça o Flua!

Já conhece o Flua? o software de gestão financeiro simples e fácil de usar

Quais problemas que o fluxo de caixa evita?

Imagine o seguinte cenário. Você vai comprar um carro. Ele é de uma marca que você nunca teve. Se ele apresentar um problema, onde você irá procurar a solução? Ou em um mecânico, ou no manual de instruções. Mas e sua empresa, quando ela apresenta algum problema, em termos financeiros, onde você procura a solução? No fluxo de caixa! Sim, ele serve não apenas para fins de controle, mas principalmente, para análise, planejamento estratégico, visualização de problemas e soluções. 

Muito mais do que apenas uma ferramenta de controle, o fluxo de caixa é uma ferramenta de solução de problemas. Muitas vezes, existem problemas de gestão que ficam explícitos no fluxo de caixa. 

Veja agora alguns problemas que podem ser evitados com um bom fluxo de caixa, aplicado da forma correta!

1- Não sei para onde vai o dinheiro da minha empresa!

Frase muito comum, que muitos empresários falam. Sem um correto procedimento de fluxo de caixa, fica muito difícil acompanhar os fluxos financeiros. Não que a única função do fluxo de caixa seja esta, mas esta é uma das principais. Com um bom processo de fluxo de caixa, sua empresa estará literalmente, nas suas mãos. Você terá relatórios detalhados, de custos e receitasseparados por setores. Desta maneira, você poderá encontrar problemas ou até mesmo soluções, na análise destes dados. Enfim, o fluxo de caixa é a ferramenta que te dará um patamar completo de um dos setores mais importantes de qualquer empresa, o financeiro!

Dica: Entenda o que é centro de custo e por que usar em sua empresa

2- Contas sempre pagas em dia

Se sabemos quando determinado valor vai ser recebido, também temos o total controle de pagamentos a serem feitos. Isso é uma das vantagens do fluxo de caixa, que faz com que sua empresa economize muito dinheiro. Imagine uma conta a ser paga, na casa dos 5 dígitos. Uma conta de 10 mil reais, por exemplo. A média de juros cobrada por pagamento em atraso é de 2%. Por um simples atraso, algo que poderia ser prevenido, você teve um prejuízo de 200 reais. Parece pouco, mas no contexto total, este dinheiro que é perdido com o pagamento de juros, acaba saindo de sua margem de lucro

Com o fluxo de caixa, você terá relatórios constantes, não apenas dos recebimentos, mas também das contas para pagar. Neste caso, não há riscos de acabar pagando uma conta em atraso e com isso, perdendo dinheiro. Lembrando sempre, que juros é algo que sai do seu lucro, do seu bolso. Por isso, sempre devemos procurar medidas que evitem o seu pagamento. Pagar as contas no dia certo é uma das medidas mais corretas, simples e efetivas para isso. 

Clique no banner abaixo e otimize o controle do fluxo de caixa da sua empresa agora mesmo!

Software de gestão financeiro Flua

3- Evitar ficar sem dinheiro em dados momentos

Além de evitar pagar juros por contas em atraso, você ainda poderá ter um planejamento adequado para os pagamentos. Como assim? Uma empresa, sob hipótese alguma, pode ficar totalmente sem dinheiro em caixa. Qualquer imprevisto pode trazer prejuízos neste caso. Por isso, é fundamental ter um planejamento das contas a serem pagas, alinhado com os recebimentos. Desta maneira, sua empresa não apenas terá sempre dinheiro em caixa, como também evitará imprevistos. 

Mas para que isso aconteça, é preciso de um fluxo de caixaSoftwares como o Flua, fazem isso por sua empresa. Com isso, você terá sempre dinheiro em caixa e as contas pagas na data certa. Sua margem de lucro aumenta e você terá mais espaço e recursos para crescer. 

4- Não saber o ritmo de crescimento

O crescimento de qualquer empresa, seja ela de serviços ou de venda de produtos, se mede, na grande maioria das vezes, pela questão financeira. Afinal, vender mais, nem sempre é o mesmo que aumento de lucratividade. Neste sentido, a ferramenta mais usada para medir o crescimento de uma empresa e principalmente, projetar os próximos períodos, é o fluxo de caixa

O fluxo de caixa nos fornece diversas informações, que interpretadas no contexto certo e com as métricas corretas, nos dá um patamar bastante preciso. Uma empresa, que por exemplo, aumentou suas vendas, mas não consegue aumentar sua lucratividade, está com um problema em suas margens. Da mesma forma, existem casos onde a empresa não consegue crescer por falta de vendas ou inúmeros outros fatores. 

Dica: Como (e por que) avaliar a saúde financeira da empresa?

Sabe o que é mais interessante? Tudo isso é apontado, com dados precisos, pelo fluxo de caixa. Se ele estiver, de fato alinhado com o que sua empresa precisa e de acordo com a realidade do mercado, suas informações são de enorme validade! 

5- Falta de precisão nas análises

Complementando tudo o que foi dito até aqui, o fluxo de caixa te dará uma imensa precisão na análise de seu negócio. Você pode estar vendendo muito, mas tendo pouco lucro. Da mesma forma, você pode estar vendendo muito, mas sua margem de lucro é “engolida” por processos ineficazes de gestão e execução. 

Tudo isso pode ser mensurado e é demonstrado no fluxo de caixa. Caso um setor esteja gastando demais, é possível verificar isso no fluxo de caixa. Da mesma forma, é possível ter um patamar muito completo da contribuição dos mais variados setores, para o sucesso econômico da empresa

Tudo isso, com os relatórios que podemos ter com a utilização adequada do fluxo de caixa.

O fluxo de caixa é o fator comum de todas as empresas de sucesso. Não importa o tamanho, não importa o ramo de atuação. Podemos afirmar, inclusive, que é inquestionável a utilização ou não do fluxo de caixa. O esforço que ele demanda, frente aos resultados que ele traz, é inquestionável. 

Não importa qual seja a sua empresa ou o tamanho dela. O fluxo de caixa bem aplicado, da forma adequada, só traz benefícios e uma gestão profissional e efetiva

Mas nada disso vai funcionar se você não souber como fazer um fluxo de caixa adequado. É fundamental que você encontre a forma mais adequada para sua realidade e mercado. Para isso, elaboramos um guia de como fazer seu fluxo de caixa.

Como fazer um Fluxo de Caixa

Um fluxo de caixa que traga uma gestão financeira mais efetiva e benefícios para sua empresa, envolve a criação de estratégias específicas, além de disciplina em alguns casos. 

Existem diferentes formas de fazer e manter seu fluxo de caixa. A forma mais comum e que ainda é muito usada são as planilhas. Você tanto pode criar a sua planilha própria, algo que dá um certo trabalho e que em muitos casos, pode acabar deixando elementos importante de fora, ou algumas planilhas prontas. Mais adiante iremos te mostrar duas planilhas prontas para serem baixadas e utilizadas. 

Clique no banner abaixo e baixe agora a planilha de fluxo de caixa mais fácil e simples de usar!

Planilha de Fluxo de Caixa

Além disso, alguns mecanismos precisam ser seguidos para que o sucesso de seu negócio esteja agregado ao funcionamento do seu fluxo de caixa. Selecionamos um passo a passo para fazer o seu fluxo de caixa de forma simples

1- Estabeleça uma forma de analisar os ganhos e as despesas

Em sua planilha de fluxo de caixa, faça uma diferenciação do que é receita e despesa. Uma dica é separar por cores ou símbolos que indique se está positivo ou negativo. O mais importante é identificar de forma fácil e facilitar o trabalho. Em alguns softwares de gestão financeira, como o Flua, isso já está inserido na ferramenta. Desta forma, fica muito mais fácil visualizar as entradas, saídas, investimentos e outras movimentações financeiras.

2- Estabeleça as categorias

Um dos pontos mais importantes do fluxo de caixa. Seja para as receitas, seja para os custos, é fundamental pensar muito bem nas categorias. Afinal, serão com base nelas que os relatórios serão criados.

As receitas, podem ser inseridas de acordo com a sua atividade. Os recebimentos podem ser de acordo com a dinâmica de seu negócio. Aqui, é importante salientar que empresas de vendas apenas, mistas ou de prestação de serviço, tem receitas advindas de origens diferentes. Por isso, as categorias do fluxo de caixa precisam ser muito bem pensadas. 

No caso das despesas, pode-se pensar em setores, em ações ou até mesmo, em grupos.

3- Defina as despesas fixas e esporádicas

Alguns gastos mensais (aluguel, contabilidade e Internet, pagamentos parcelados ou taxas) podem ser registrados no fluxo de caixa como contas a pagar nos próximos meses. Assim, o gestor terá o saldo atual real sobre o caixa e saber como reagir no futuro, mediante aquela média fixa de gastos que já estão pré-estabelecidas. Ou seja, esses gastos não sofrem alteração e com eles o gestor poderá elaborar planos para o futuro do negócio. 

Aqui, é possível prever, por exemplo, quanto você terá de despesas fixas nos próximos meses. Em muitos casos, os salários de funcionários também são classificados como despesas fixas. A definição das despesas fixas e variáveis depende de cada ramo de atividade e forma de gestão da empresa.

4- Elabore periodicamente as movimentações financeiras

Para que não crie confusão no modo de trabalho, o gestor financeiro deve separar as movimentações de acordo com suas categorias e origens. 

Agora, todas as movimentações que forem feitas em seu negócio, devem ser inseridas nesta planilha. Você pode separar por cores ou colunas. O ideal, em se tratando de um fluxo de caixa em planilha, é usar colunas diferentes, de entradas e saídas e também por categorias.

Isso facilitará a análise dela, tendo em vista que não há um software para fazer esta separação. Esta planilha também deve ser separada por meses.

As planilhas que você poderá baixar gratuitamente, já possuem estas funcionalidades.

Dica: Conheça 3 ferramentas para organizar as finanças na sua empresa (e saiba como usá-las da melhor forma)

5- Cadastre as contas a receber

Saber o que você tem a receber, é fundamental. Nem todas as empresas têm o recebimento no ato de entrega do produto ou serviço. Empresas B2B (que atendem outras empresas) podem ter prazos maiores para receber. Mesmo empresas que atendam ao consumidor final, tem recebimentos parcelados. Desta maneira, é fundamental ter um controle das contas a receber em seu fluxo de caixa.

É interessante já ir cadastrando as contas a receber dentro de sua categoria correta. Isso fará com que no momento do pagamento, você só tenha que marcar como pago o lançamento. Isso te dá um ganho de produtividade e facilita a utilização do fluxo de caixa em sua empresa.

6- Baixe uma planilha de fluxo de caixa

Hoje estão disponíveis diversas plataformas para ajudar o empreendedor a criar uma planilha de gastos. 

Nosso blog possui uma planilha completa e fácil usabilidade, que ajudará o pequeno, médio e grande empreendedor a criar um fluxo de caixa. Toda e qualquer ajuda é esclarecida para que o empreendedor possa trabalhar da melhor maneira possível e assim criar um sistema financeiro completo para o seu negócio.

Existe, no SEBRAE também existe uma planilha pronta. Nela, basta ir inserindo as categorias, entradas e saídas de seu negócio.

Estas duas planilhas já serão de grande valia para seu negócio. Para isso, basta baixá-las e inserir as informações de seu negócio. É muito importante que você compreenda o conceito de cada uma delas. Recebimentos, despesas e tudo mais, deve ser inserido periodicamente. 

Uma das maiores dificuldades que as pessoas têm ao usar uma planilha de fluxo de caixa é justamente o “esquecimento” da sua atualização. Torne isso um hábito. É fundamental, reservar um tempo periodicamente, para inserir as informações em sua planilha de fluxo de caixa. Em muitos casos, o mais indicado é fazer isso diariamente. Em alguns casos, com menos movimentações, pode-se fazer até semanalmente. Aqui, cabe a você empresário ou gestor, definir qual a periodicidade mais adequada. 

Dica: Conheça as 5 melhores dicas de gestão financeira para utilizar em sua empresa

Problemas para evitar ao fazer o fluxo de caixa

Atualizar seu fluxo de caixa tem que ser uma tarefa bem-feita com o propósito de trazer benefícios financeiros e de gestão para a empresa. Como muitos não sabem elaborar, ou não tem experiência com o fluxo de caixa, pequenos erros são muito comuns. Estes, podem comprometer seriamente a qualidade do fluxo de caixa e consequentemente, seus resultados.

1- Fazer um registro de dinheiro que ainda não foi recebido 

Muitos empresários lançam valores recebidos sem antes estar com o dinheiro. Na maioria dos casos isso acontece quando a venda é parcelada e estes, lançam o valor total no fluxo de caixa. Também é comum vermos pessoas que lançam no fluxo de caixa, boletos que foram quitados, mas não obtiveram compensação bancária. Mas ao fazer isso, o negócio pode ser prejudicado e o seu fluxo de caixa irá criar uma bolha de problemas e até o surgimento de novas dívidas (principalmente em empresas maiores, onde mais pessoas lidam com as questões financeiras). Assim, o melhor caso é aguardar o recebimento real do dinheiro, para contabilizar no fluxo de caixa

2- Ser desorganizado 

Hoje contamos com diversos softwares para gestão de fluxo de caixa, como o Flua, mas todos eles precisam de um fator fundamental: a organização. No caso das planilhas, isso é ainda mais importante. Deixar de anotar entradas, saídas, investimentos ou contas a pagar, faz com que haja uma disparidade entre o fluxo de caixa e as contas bancárias. Desta maneira é fundamental que quem lida diretamente com o fluxo de caixa, seja realmente organizado e faça suas tarefas de gestão com cuidado e atenção. 

3- Lançar em categorias erradas

Uma das vantagens mais importantes da utilização do fluxo de caixa é justamente os relatórios detalhados. Se ao lançar recebimentos ou despesas, você não o fizer nas categorias certas, não terá um retrato fidedigno da questão financeira de seu negócio. 

Neste sentido, além de lançar todas as movimentações é fundamental levar em conta as categorias corretas. Isso te dará os relatórios mais corretos e precisos, que facilitarão o processo de gestão financeira de seu negócio

Clique no banner abaixo e conheça o Flua!

Já conhece o Flua? o software de gestão financeiro simples e fácil de usar

4- Não ser detalhista

Uma entrada ou saída de dinheiro pode ser de diferentes origens. É fundamental, que na realização dos processos de fluxo de caixa, que quem o faz seja detalhista. Isso envolve não apenas lançar recebimentos ou gastos, mas sim nas categorias corretas e ainda, se possível, com as descrições. 

Um erro muito comum neste contexto, é por exemplo, lançar vendas e não recebimentos. Uma venda pode ser oriunda de diferentes setores ou ser paga de diferentes formas. O ideal é lançar recebimentos com detalhamento completo dele. Isso facilita e muito o processo de fluxo de caixa

Isso vai facilitar o entendimento do contexto financeiro da empresa e principalmente, facilitar o processo de gestão como um todo. Ser detalhista ao lançar os elementos no fluxo de caixa é fundamental para qualquer empresa

Além das vantagens citadas, em análises futuras, é possível verificar com mais precisão os números da empresa. 

5- Ser otimista em excesso com o futuro

Uma das principais e mais importantes funções do fluxo de caixa é justamente a possibilidade de planejar o futuro financeiro de sua empresa! Porém, é importante ser realista neste ponto. Não adianta achar que tudo vai mudar de uma hora para outra. Salvo raros casos, o crescimento das empresas em termos financeiros é sequencial. Ele segue um padrão de crescimento. 

Por isso, ao analisar o seu fluxo de caixa e fazer projeções futuras, não seja otimista em excesso. Além de te dar falsas expectativas, isso ainda pode comprometer as ações de sua empresa. 
Uma visão fora da realidade, pode fazer sua empresa entrar em dívidas que não tem condições de pagar e comprometer uma parcela considerável do faturamento. 

6- Esquecer do acompanhamento

Fluxo de caixa existe para ser acompanhado. Não apenas para inserir dados nele. Por isso, é fundamental fazer o acompanhamento, de preferência diário. Além disso, é fundamental usar pelo menos um a dois dias no mês, para fazer uma avaliação mais detalhada do fluxo de caixa. 

Com isso, você terá mais chances de melhorar a gestão financeira de seu negócio, encontrar gargalos que sugam sua lucratividade e ter melhores resultados.

Exemplo de Fluxo de Caixa

Alguns empreendedores têm dificuldade de enxergar seu fluxo de caixa de forma prática, aplicada. Isso porque não conseguem entender como elaborar um bom programa de planejamento que mostre os ganhos reais, onde os custos aconteceram e outros elementos que acontecem na demostração do fluxo de caixa. 

Para isso, mais uma vez é bom entender como se cria e gerencia o fluxo de caixa. Lembre-se que ele é uma peça chave para uma boa administração financeira, sendo a empresa de pequeno, médio e grande porte. Assim, se faz necessário uma atualização diária, com disciplina e seriedade. 

Dica: Afinal, o que é fluxo de caixa?

Um exemplo de fluxo de caixa envolve uma série de variáveis. Afinal, as empresas são diferentes umas das outras, não é? Mas o contexto geral, os objetivos, serão sempre, invariavelmente, os mesmos. 

O exemplo de fluxo de caixa mostrado a seguir, nada mais é do que uma possibilidade de utilização no controle das finanças de sua empresa

Com o exemplo de fluxo de caixa será possível vislumbrar, de forma muito mais prática, a sua aplicação. 

Para entender melhor isso tudo, é importante ter alguns conceitos muito claros. Não se esqueça: é muito importante que você defina exatamente o que é entrada e saída na sua empresa, organizando todos os registros em uma única planilha. 

As entradas, em questão, dizem respeito a todo o dinheiro que é creditado na conta da empresa. Ele pode ser advindo de diferentes formas, mas a mais comum sempre será a venda. Neste sentido, é importante que estas vendas sejam detalhadas, que sejam detalhadas de acordo com o produto ou serviço e que informem os valores. 

Já as saídas, irão informar todo o dinheiro que sai, de acordo com suas categorias. As saídas podem ser de diferentes variações. Salários, pró-labore, fornecedores, despesas fixas, material de expediente e muitas outras. 

É fundamental compreender que o exemplo de fluxo de caixa abaixo é amplo e que sua empresa pode ter algo mais direcionado, mais específico. Na verdade, este é o cenário ideal, ao criarmos categorias de recebimentos e despesas e usarmos softwares como o Flua, para otimizar a utilização do fluxo de caixa. 

Clique no banner abaixo e comece a organizar o seu fluxo de caixa com o Flua!

Software de gestão financeiro Flua

Modelo Grátis de planilha pronta no Excel

No fluxo de caixa, todos os recebimentos (vendas efetuadas etc.) são registrados e compõe um cenário econômico adequado e principalmente, controlado. 

Hoje no mercado há muitas opções de planilhassoftwares e programas em geral que podem auxiliar na construção do fluxo de caixa e auxiliam também na construção de outros demonstrativos financeiros. Mas uma simples planilha, em alguns casos, pode ser interessante. É lógico que em muitos casos, ela se torna obsoleta, mas para quem não tem ainda o potencial para ter um programa específico, ela se mostra uma saída.

Nós, do Flua, queremos te ajudar, e por isso auxiliamos você em tudo o que você precisa para manter as contas da sua empresa em ordem e a manter seu fluxo de caixa em dia. Assim, separamos uma planilha em especial para que, por meio do acesso simples no Excel, consiga montar o seu fluxo de caixa de forma clara e simples sem possuir qualquer experiência avançada em programas digitais ou até mesmo com elaboração complexa. 

E como é feito isso? Muito simples: clique no banner abaixo e tenha acesso a mais completa planilha de fluxo de caixa. E o melhor: de graça!

Planilha de Fluxo de Caixa

E todas as informações sobre o assunto você pode receber diretamente em seu e-mail de forma simples e ágil. Acesse nosso conteúdo online e saiba como tirar todas as dúvidas pertinentes ao assunto e que sejam de auxílio para a sua empresa. 

Nós do Flua queremos ajudar você a construir uma empresa maior, mais forte e sadia financeiramente por meio da nossa planilha. Você poderá manter todas as contas em dia e ter a garantia de que no final do mês o saldo será positivo em seu sistema financeiro.

Sebrae Ajuda

Para quem busca ajuda na hora de criar, manter ou gerenciar uma empresa, a melhor alternativa é buscar auxílio do Sebrae. Mas o que ele é? 

Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) está presente no mercado nacional a mais de 40 anos. Sua principal atividade é auxiliar no desenvolvimento de empresas, com diversas ideias e maneiras, ao empreendedorismo nacional com faturamento bruto anual de até R$ 3,6 milhões. 

Ele foi criado especificamente para ajudar a fortalecer o segmento do empreendedorismo, tornando a economia mais forte criando parcerias entre o setor público e privado que pudesse angariar capacitação, recursos e diversos negócios. 

Hoje o Sebrae atende em todo o território nacional, em diferentes postos em vários municípios, tendo como umas das metas, também, o fortalecimento da economia, ajudando aqueles que querem ter um negócio ou até mesmo não sabem gerenciar. 

Assim, o Sebrae se tornar um complemento para o empreendedor na hora de angariar uma capacitação ou desenvolvimento de sua marca. Ele não tem linha de crédito própria para os empresários, mas sim atua como intermediário junto aos bancos, cooperativas de crédito e instituições de microcrédito que forem necessários para as dores de cada empresa. Também orienta aqueles empreendedores que buscam acesso a crédito sobre as melhores formas, taxas com diversas sugestões e análises sobre o perfil de mercado em qual a empresa está inserida.

Sebrae e o Fluxo de Caixa

Para o Sebrae, o fluxo de caixa é o sistema que toda empresa precisa ter. Em diversas palestras ou cursos ministrados pelo Sebrae, é mencionado a importância de se manter um fluxo de caixa atualizado e que seja coerente com as designações da empresa.

Dica: Fluxo de caixa: aprenda a fazer em 6 passos

Ele leva em consideração que todo e qualquer empreendimento precisa manter o seu controle financeiro em ordem, e por isso um relatório dinâmico, atualizado e que faça um diagnóstico real da situação financeira da empresa, é de extrema importância para o sucesso do empreendimento. 

Diferenças entre o Demonstrativo de Resultados do Exercício (DRE) e o Demonstrativo de Fluxo de Caixa (DFC)

Demonstrativo de Resultados do Exercício (DRE) e o Demonstrativo de Fluxo de Caixa (DFC) são importantes informativos para a gestão financeira da empresa. Com eles, é possível analisar como anda a situação financeira por dois olhares diferentes e quais melhores se encaixam às suas necessidades.

Demonstrativo de Resultados do Exercício (DRE) 

Com esse sistema, o empreendedor consegue analisar se o sistema financeiro da empresa está andando de forma correta e com uma descrição completa das movimentações, origens, funções e aplicações. 

Ele permite assim analisar se vale a pena continuar produzindo e comercializando os produtos/serviços e se aquilo que está servindo como sua produção gera o lucro desejado para pagar qualquer despesa que a empresa esteja tendo.

Mas com esse demonstrativo, os resultados adquiridos não fornecem informações mais precisas sobre o fluxo de caixa, de uma forma completa. 

Demonstrativo de Fluxo de Caixa (DFC) 

Mostra realmente o valor em dinheiro que a empresa possui. Sempre se deve manter esse controle porque em alguns casos, a empresa pode estar gerando boa renda, sendo positiva nos lucros, mas a curto prazo poderá sofrer uma queda e trazer prejuízos e assim não conseguir pagar as contas.

Nesse tipo de demonstrativo, você não consegue medir como a empresa está atuando no sistema operacional e quais resultados serão conquistado. Em muitos casos, os gestores podem achar que tem dinheiro em caixa quando na verdade ele já foi destinado a outro benefício. Ele pode apresentar uma visão errada e deturpada dos valores reais da empresa e assim criar uma bolha no futuro. Deve-se manter assim um controle mais rígido e elaborado para que o fluxo de caixa positivo não se destinado a duas funções e no final não consiga realizar nenhuma delas.

Dicas para controlar seu fluxo de caixa

É regra básica que o empresário mantenha seu fluxo de caixa atualizado e verifique constantemente suas variáveis. Isso dará mais segurança na hora de gerenciar a empresa, principalmente na ótica financeira. Além disso, será possível antecipar algumas medidas importantes que a empresa necessita. 

Separamos algumas dicas importantes, confira! 

1- Escolha o tempo que será analisado 

Faça a escolha de qual tempo será o seu relatório do fluxo de caixa. Veja as necessidades da empresa e qual o melhor controle para o segmento que você atua. Só assim conseguirá manter uma rotina de trabalho e deixar o financeiro em dia. Além disso, desde o primeiro momento da empresa, é fundamental ter uma estratégia e uma execução de fluxo de caixa. Isso fará com que, com o passar dos meses e anos, seja possível vislumbrar o crescimento e a forma como a empresa evoluiu. Neste caso, não importa o nível que seu negócio se encontra, ele já deveria ter uma boa estratégia de controle de fluxo de caixa. Caso você ainda não tenha, comece o mais rápido possível. 

Dica: Como fazer o controle de fluxo de caixa do meu negócio de maneira correta?

2- Separe suas contas pessoais da empresa

Um erro comum, que compromete a saúde financeira de qualquer empresa, é não separar as despesas pessoais das despesas da empresa. Mesmo que a empresa seja totalmente sua, o patamar ideal é contar com um salário, que chamamos de pró-labore. 

Desta maneira, será possível manter o fluxo de caixa da empresa adequado e principalmente, não haverá mistura de despesas. Isso é fundamental para qualquer empresa que se torne sustentável em longo prazo. 

3- Seja rigoroso com datas de contas a pagar e a receber 

Anotar e manter um controle das datas que você tem contas para pagar e para receber, sempre será uma das chaves para o sucesso. Por isso, tenha sempre o cuidado de em seu fluxo de caixa, ter muito bem detalhadas as datas de pagamento. 

Se a empresa trabalha com compra e venda parcelada ou a prazo, fique em alerta para o dia em que esse dinheiro está acessível em suas mãos para que os gastos não ultrapassem a renda. 

4- Mantenha seu fluxo de caixa constantemente atualizado 

Com um fluxo de caixa atualizado, você saberá como anda o coração da empresa, que é o setor financeiro. Anote e elabore sempre relatórios diários para que o controle se mantenha mais preciso e correto. Criar o hábito de anotar tudo. Assim, poderá consultar o fluxo de caixa a qualquer momento sabendo que as informações presentes ali lhe darão todos os dados corretos sem erro ou prejuízos.

Se você usar o fluxo de caixa de forma constante, verá que se tornará um hábito manter as contas todas presentes nele. Desta maneira, terá um controle muito maior e melhores resultados financeiros.

Clique no banner abaixo e comece a organizar o seu fluxo de caixa com o Flua!

Software de gestão online Flua

5- Corrija o planejamento financeiro de acordo com sua realidade

Com todos os dados atualizados em mãos, o empreendedor poderá saber o que precisa ser reajustado ou não e quais melhorias tem que ser feitas. Ele irá corrigir a ordem financeira da empresa e assim conseguir estabelecer um parâmetro correto para o sucesso. Além disso, em casos onde pode ocorrer uma diminuição de rendimentos, o fluxo de caixa pode fornecer os dados para o planejamento financeiro se adequar às necessidades atuais. 

O planejamento financeiro está ligado a uma série de fatores e ele não pode, de forma alguma, ser estático. Analisar constantemente o fluxo de caixa e principalmente, ajustar o planejamento financeiro sob estas perspectivas, é fundamental. 

6- Tome cuidado com o controle das vendas parceladas 

Cuidado na hora de registrar o fluxo de caixa total no momento em que ele é realizado, isso porque em muitas vezes ele foi parcelado e pode se criar uma diferença.

Assim, você acha que tem um determinado valor positivo, quando na verdade ele só estará parcelado de mês a mês. Faça um lançamento correto e elaborado de todos as ordens financeiras da empresa. Por isso, lance no sistema apenas pagamentos já realizados, e não vendas.

7 – Use a tecnologia como aliada! 

Na era digital, o uso da tecnologia é uma ferramenta importante para manter as contas da empresa em dia. Por isso, verifique qual o melhor aplicativo que pode armazenas tudo o seu fluxo de caixa de forma rápida e simples, sem a necessidade de grande conhecimento. 

Também, pelo computador, tenha um planilha atualizada e dinâmica que mostre os números de forma adequada ao seu perfil. Como já mencionamos, nosso sistema contém uma ajuda simples que irá ser de grande valia para a sua empresa. Elimine o papel, caneta e planilha. Utilize um bom software ou até mesmo uma planilha. A grande questão da planilha, é que em muitos casos, ela se torna mais trabalhosa do que um software. Relatórios, acompanhamento, acesso em diferentes terminais, tudo isso torna o fluxo de caixa em planilhas, mais complicado

Mas como já mostramos, tudo depende da forma como sua empresa atua, do seu nicho, tamanho e gestão financeira.

Dicas de livros, vídeos e materiais educativos do fluxo de caixa

A qualificação do empreendedor sempre será fundamental. Um bom fluxo de caixa só será de fato, efetivo, se o empreendedor buscar estratégias para interpretá-lo corretamente e principalmente, souber tirar proveito destas informações. 

Existe muito material de qualidade, que pode te ajudar a melhorar consideravelmente a gestão financeira de sua empresa! Separamos algumas dicas que podem ser de grande auxílio no crescimento e sucesso da sua empresa e assim manter um sistema financeiro estável e positivo. 

Confira nossas dicas:

Curso Grátis de Fluxo de Caixa - Elaborado pelo Canal de Ensino de forma prática e dinâmica.

Curso Grátis de Fluxo de Caixa - Elaborado pelo Canal de Ensino de forma prática e dinâmica

Livro Fluxo de Caixa – A Visão da Tesouraria e da Controladoria

 Fluxo de Caixa - A Visão da Tesouraria e da Controladoria

Um aprofundamento de como tem que ser elaborado um fluxo de caixa de sucesso para a sua empresa.

Livro Gestão de Fluxo de Caixa – Perspectiva, estratégica e tática

Livro - Gestão do Fluxo de Caixa : Perspectivas, Estratégica e Tática

Livro Gestão de finanças e investimentos

Livro Gestão de finanças e investimentos

De Agostinho Celso Pascalicchio e Paulo Sérgio Milano Bernal. Livro completo sobre todos os aspectos que compõem a gestão financeira, controle, execução e interpretação do fluxo de caixa e outros elementos.

Dicas de como cuidar das finanças da empresa de modo pratico mediante um fluxo de caixa bem trabalhado.

Vídeo: Como Fazer o Fluxo de Caixa da Sua Empresa

Vídeo: Fluxo de Caixa em 5 minutos

Vídeo Sebrae

Analisado todos os pontos do fluxo de caixa. Um vídeo elaborado pelo Sebrae para ajudar o empreendedor na busca do sucesso, com diferentes alternativas e métodos de trabalho para o pequeno e médio gestor que ainda tem dúvidas de como melhorar as ações financeiras da sua empresa.

fluxo de caixa é o coração de sua empresa. Se ele não estiver muito bem controlado e interpretado, você poderá ter constantes problemas! Conte com a equipe do Flua para te ajudar!